Vendedor processa Versace por usar código para clientes negros

Mundo
27
DEZ
2016


Christopher Sampiro acusa a grife de orientar funcionários a dizer "D410", código usado para roupas pretas, quando clientes negros entram em suas lojas

São Paulo – Um ex-funcionário da grife italiana Versace está processando a empresa por supostamente adotar um código secreto para alertar a equipe quando clientes negros entram em suas lojas.

O caso foi denunciado nos Estados Unidos e divulgado pela CNN.

Christopher Sampiro, de 23 anos, trabalhou por duas semanas em uma outlet da marca em Pleasanton, no estado da Califórnia, e acusa a companhia de demiti-lo por ser mestiço.

Ele entrou com a ação em novembro, seis semanas após ter sido dispensado.

Sampiro relata que, durante o treinamento de admissão, um gerente teria questionado se ele conhecia o “código D410”, que seria o mesmo usado para roupas de cor preta.

O chefe teria então o instruído a “dizer D410 de forma casual quando uma pessoa negra entrasse na loja”, segundo trecho do processo publicado pela CNN.

O vendedor, que se autodeclara “25% afro-americano”, teria então respondido ao superior: “você sabe que eu sou afro-americano?”. Depois desse diálogo, ele afirma que passou a ser tratado de forma diferente pelo gerente.

Após 15 dias, Sampiro foi demitido, com a justificativa de que ele não entendia e não conhecia a vida de luxo, de acordo com a ação.

No documento, ele ainda acusa a empresa de não o remunerar pelos dias trabalhados e de não conceder intervalos para descanso durante a jornada.

A Versace nega as acusações e pediu uma audiência para contestação, marcada para o dia 21 de março, segundo a CNN. O processo corre na Suprema Corte do Condado de Alameda, na Califórnia.

EXAME.com entrou em contato com a Versace por e-mail, mas não obteve posicionamento até a publicação deste texto.

Fonte: Exame

Artigo postado no dia 27 de dezembro de 2016, em Mundo.

Comentários

Deixe seu comentário