Agência Nacional de Energia Elétrica aumenta conta de luz da Bahia em 6,22%

Economia
17
ABR
2019

Como qualquer outro brasileiro, o baiano contribui com a pesada carga tributária que compreende cerca de 100 tributos, sejam os de competência municipal, estadual ou federal e também sofre muito seja pelo alto índice de corrupção e medidas absurdas aplicadas à órgãos da administração pública. E, Ainda que o Brasil mantenha sua tarifa de energia elétrica entre as mais caras do mundo, considerando a alta histórica acumulada de 85,8%, conforme artigo publicado pela economista Estela Benetti, a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), responsável pela regulamentação do setor elétrico no país autorizou na terça-feira (16/04/19) mais um reajuste de +6,22% nas tarifas de energia elétrica para a Bahia. A taxa está acima da inflação oficial do país (IPCA - Índice de preços ao Consumidor) em 2018, que foi de 3,75%. Os novos valores entram vigor a partir do dia 22 de abril  - próxima segunda - para os cerca de seis milhões de clientes da Coelba. O consumidor só irá perceber essa variação, de forma mais significativa, nas faturas recebidas a partir de maio.

 

Para os clientes atendidos em baixa tensão, que inclui os clientes residenciais, o reajuste médio será de 6,67%. Já os clientes atendidos em alta tensão, como indústrias e comércio de médio e grande porte, o reajuste será de 5,09%. 

 

Para definição da tarifa de energia, a ANEEL também considera diversos fatores: os custos com encargos setoriais representam 7,7% do total da conta média de energia; tributos (ICMS/PIS/COFINS) 27,1%; despesas com a compra da energia 31,3%; transmissão da energia 5,5%; e custos de operação, manutenção, expansão do sistema, administração do serviço e remuneração dos investimentos 28,4%.

 

A ANEEL também definiu ontem os reajustes para as tarifas de energia nos estados de Sergipe, Rio Grande do Norte e Ceará. Para os consumidores sergipanos, atendidos pela distribuidora Energisa Sergipe, o reajuste médio para os consumidores residenciais será de 3,04%. Para os atendidos na baixa tensão, tanto comerciais, quanto residenciais, o reajuste será de 3,33%. Para os da alta tensão, será de 1,84%. A empresa atende 778,9 mil unidades consumidoras localizadas em 62 municípios do estado. Já o reajuste dos consumidores da Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern), terá efeito médio de 4,73%. A concessionária atende 1,4 milhão de unidades consumidoras localizadas em 167 municípios do estado.

 

No Ceará, o reajuste será de 7,87% para os consumidores  de alta tensão e de 8,35% para os atendidos por baixa tensão.  O estado é atendido pela concessionária Enel.

 

Fonte: Correio

Artigo postado no dia 17 de abril de 2019, em Economia.

Comentários facebook

Deixe seu comentário

Comentários EP-Web