Já na final da Copa América, Brasil, invicto, dá baile na Argentina por 9 a 2

Esporte
17
DEZ
2016

Com Mauricinho inspirado e Bruno Xavier marcando mais uma vez, time vence em ritmo de treino, chega aos 100% e vai decidir competição domingo, contra o Paraguai


Com a arena da Praia do Gonzaga em Santos totalmente lotada, o Brasil, já classificado para a final da Copa América, voltou a mostrar a superioridade e o favoritismo na competição. Foi um passeio no tradicional rival sul-americano, a Argentina neste sábado. A goleada por 9 a 2 manteve a equipe com 100 por cento de aproveitamento no Grupo A - vencera Bolívia (9 a 1), Chile (8 a 3) e Uruguai (6 a 2). Fernando DDI, Mauricinho (3), Bruno Xavier, Nelito, Boquinha, Datinha e Rodrigo marcaram os gols brasileiros, com Benaducci fazendo os dos hermanos na partida válida pela quinta e última rodada da primeira fase (assista ao vídeo acima com os gols da partida).


O time, que entrou em campo com o tradicional uniforme verde-amarelo com o escudo da Chapecoense impresso no meio da camisa numa homenagem ao clube que perdeu 19 jogadores no desastre aéreo de 29 de novembro -, começou a abrir o placar no segundo tempo, quando o placar ainda estava 1 a 0 para os brasileiros e os argentinos chegaram a empatar. A seleção não só retomou o domínio do jogo como chegou ao fim da segunda etapa com a vantagem de 4 a 2. Depois, no terceiro, só deu Brasil, que chegou ao baile por 9 a 2. O destaque ficou por conta de Mauricinho, autor de três gols, o terceiro o mais bonito do jogo.

Agora, a seleção brasileira tentará seu 11º título da Copa América contra o Paraguai, que na preliminar empatou com o Equador por 4 a 4 - após a prorrogação, sem gols, perdeu nos pênaltis mas terminou o Grupo B como primeiro colocado. A partida será neste domingo, às 14h, com transmissão do SporTV.

- Tivemos total controle, principalmente no terceiro tempo. O jogo com o Paraguai será bem mais difícil, o adversário é mais forte, treinado por brasileiro. Será um grande jogo. Vamos com essa mesma pegada e intensidade - afirmou Bruno Xavier, craque, capitão e artilheiro do campeonato, autor de um dos gols da goleada, agora com 140 vestindo a camisa verde-amarela.

Primeiro tempo: vantagem apertada

O começo foi uma mostra do que seria a partida: a Argentina fechada, recuada, esperando o Brasil atacar para tentar surpreender numa brecha. Comandada pelo craque Bruno Xavier, a seleção brasileira, apesar da vaga assegurada na final, buscava mais o gol e deu o primeiro susto já após o primeiro rodízio na escalação, num voleio de Fernando DDI para fora. Boquinha também quase abriu o placar num tiro de canhota, mas o primeiro gol surgiria na jogada seguinte com a participação dos dois jogadores: após levantada da esquerda de Boquinha,

A Argentina bem que tentou sair mais para o jogo, mas o Brasil esteve mais perto do segundo gol do que os hermanos do empate. Bruno Xavier quase marcou golaço por cobertura - Polatti se espichou e tocou para escanteio. Datinha também tentou encobrir o goleiro argentino, mas a bola tocou o travessão. De volta à partida no rodízio, Rodrigo quase ampliou ao se aproveitar de erro na saída de bola adversária. Mas a primeira etapa ficou mesmo no 1 a 0.

Segundo tempo: susto, mas com vantagem

A vantagem brasileira caiu logo no começo do segundo tempo. Datinha errou passe para Bruno Xavier, e no contra-ataque Benaducci, livre, colocou no canto direito de Rafa Padilha, empatando a partida: 1 a 1. O gol deu uma esfriada no ímpeto brasileiro, o que fez os argentinos equilibrarem as ações.

Mesmo assim, Nelito quase desempatou de calcanhar. A bola foi na trave e depois ainda teve o tapinha salvador de Polatti. Não demorou muito para Mauricinho, após jogada de Datinha, escorar para o fundo da rede - a bola ainda tocou em Medero antes de entrar.

Com a vantagem de 2 a 1, ficou mais fácil. E aí apareceu Bruno Xavier. Em nova assistência de Datinha, o craque do time ampliou com um biquinho na bola à la Romário: era o sexto gol do camisa 8, até agora artilheiro da competição.


A vantagem por 3 a 1 aumentou mais quando Nelito aproveitou-se de nova falha na saída de bola argentina para fazer 4 a 1 no placar. Mas quando parecia que a Argentina já estava entregue, Benaducci, num belo tiro de canhota, diminuiu o placar segundos antes do fim do segundo tempo.

Terceiro tempo: baile

Sem querer correr o risco de uma reação Argentina, o Brasil entrou disposto a resolver logo a partida. E numa tabelinha com Rodrigo, Mauricinho marcou o segundo dele da partida, quinto brasileiro. Não demoraria para o camisa 11 se tornar o destaque da partida: chamou Medero para o drible e bateu de direita no ângulo esquerdo, sem defesa. Terceiro gol de Mauricinho, sexto do Brasil.

A partida já parecia um amistoso quando Boquinha, batendo de primeira, marcou com facilidade o sétimo gol brasileiro. A Argentina não esboçava mais reação diante da superioridade brasileira.Em mais um incrível erro de saída de bola, Datinha tabelou com Mauricinho e deixou o seu também: 8 a 2 no placar. Rodrigo, de falta, fez 9 a 2 e o 400º gol no duelo com os hermanos.

A um minuto do fim, a torcida gritava olé. Afinal, uma goleada assim nos maiores rivais merece sempre comemoração.

Fonte: Globo Esporte

Artigo postado no dia 17 de dezembro de 2016, em Esporte.

Comentários

Deixe seu comentário