Vitória sai atrás, esboça reação, mas perde de goleada

Esporte
12
JUL
2017

Pior mandante da Série A, Leão perde para antigo freguês e continua na zona da degola

 

O Vasco nunca tinha somado sequer um ponto no Barradão em jogos pelo Brasileiro. Mas nem esse dado histórico serviu para o Vitória lembrar de sua conhecida força em casa na noite desta quarta-feira, 12.

 

Pior mandante da Série A, o Leão voltou a perder na Toca e segue dentro da zona de rebaixamento. O time, que vinha em recuperação, involuiu diante de algumas decisões discutíveis do técnico Alexandre Gallo na trágica derrota por 4 a 1 para o Cruzmaltino. Assim, caiu para a 18ª posição.

 

No domingo, visita o atual campeão Palmeiras com problemas na zaga. Kanu e Fred estão suspensos. Ramon saiu lesionado nesta quarta.

 

 

Dúvida cruel

 

O primeiro tempo trouxe uma dúvida cruel: qual das equipes têm mais limitações técnicas? Difícil encontrar resposta, mas o Leão deu um passe à frente aos 13 minutos, quando Escudero pegou sobra e chutou torto. Kanu foi tentar afastar, furou com o pé direito e, com a panturrilha esquerda, mandou contra a própria meta. Bizarro!

 

Antes, aos sete minutos, o argentino que brilhou no Leão em 2013 já havia assustado em cobrança de escanteio completada por cabeçada de Rafael Marques na trave.

 

O Vitória, que tinha o inábil (para ser gentil) Renê Santos no meio-campo – Uillian Correia seguiu no banco após reclamar publicamente da condição na última partida – demorou a se encontrar. Só passou a dominar o embate a partir da metade final da primeiro etapa e criou três grandes oportunidades de empatar.

 

Aos 24 minutos, Patric cruzou rasteiro e Carlos Eduardo desviou de primeira. Martín Silva pegou. Aos 37, David tabelou com Cleiton Xavier e tocou na pequena área para André Lima, que não conseguiu empurrar para a rede. Sete minutos depois, Carlos Eduardo cobrou escanteio, a redonda bateu em Renê Santos e se deslocou na direção do gol. Martín Silva defendeu.

 

Mesmo com a ligeira melhora, a torcida rubro-negra não perdoou e vaiou a equipe na saída para o intervalo. O clima não era propício para a virada no segundo tempo, e o time de fato não engrenou nos minutos iniciais. Aos 11, o técnico Alexandre Gallo tirou o habilidoso atacante Neilton da reserva – outra decisão polêmica – para sacar o volante Yago. Logo depois, uma substituição equivalente: Paulinho no lugar de Renê Santos.

 

Ou seja, o Rubro-Negro passou a encarar o jogo como ‘tudo ou nada’ com Cleiton Xavier como único volante e uma linha ofensiva formada por Carlos Eduardo, Paulinho, Neilton, David e André Lima.

 

Não surtiu efeito, mas pelo menos fez a maré virar para Kanu. Ele se redimiu do gol contra aos 24 minutos, quando completou de cabeça um cruzamento de Patric e igualou o marcador. Estava concedida a chance, mesmo não merecida, para o Vitória se animar e buscar o triunfo. Nada feito.

 

Aos 30, Thalles foi lançado por Guilherme, driblou Fernando Miguel e tornou a colocar o Vasco na frente. Nos acréscimos, Paulo Vitor, com um golaço de cobertura, e Guilherme decretaram mais uma decepção tamanho família na Toca.

 

Vitória 1 x 4 Vasco - 13ª rodada do Campeonato Brasileiro

Local: Estádio Barradão, em Salvador (BA)

Quando: Quarta-feia, 12, às 21h45

Gols: Kanu (contra), aos 13’ do 1º T; Thalles, aos 29’, Paulo Vitor, aos 46’, e Guilherme Costa, aos 49’ do 2º T (Vasco); Kanu, aos 25’ do 2º T (Vitória)

Público: 5.548 pagantes

Renda: R$ 67.071,50

Árbitro: Antonio Dib Moraes de Sousa (PI)

Assistentes: Cleriston Clay Barreto Rios (SE) e Fábio Pereira (TO)

Cartões amarelos: Geferson, Fred, Carlos Eduardo e Kanu (Vitória); Wellington e Thalles (Vasco)

Vitória - Fernando Miguel; Patric, Kanu, Ramon e Geferson; René Santos (Paulinho), Yago (Neilton), Cleiton Xavier e Carlos Eduardo; David e André Lima. Técnico: Alexandre Gallo.

Vasco - Martín Silva; Madson, Rafael Marques, Jomar e Ramon; Jean, Wellington, Yago Pikachu (Paulinho), Wagner e Escudero (Guilherme Costa); Thalles (Paulo Vitor). Técnico: Milton Mendes.

 

Fonte: A TARDE

Artigo postado no dia 12 de julho de 2017, em Esporte.

Comentários

Deixe seu comentário