Proibição aos limites de internet fixa não deve cair tão cedo, diz Anatel

Tecnologia
16
DEZ
2016

Lembra de todo o escândalo que aconteceu quando as operadoras começaram um movimento para começar a implantar as franquias de internet fixa no Brasil, ocasionando o corte da conexão ao fim do plano de dados contratado? O assunto não foi para frente, em grande parte, graças à reação forte do público, que fez com que a Anatel decidisse colocar em vigor uma medida cautelar que proibia a prática por tempo indeterminado.

Pois bem: ao que tudo indica, a Anatel não tem nenhum plano para revogar a tal medida cautelar em curto prazo, o que significa que as franquias de internet fixa ainda devem ser proibidas por um bom tempo.

A declaração foi dada por Juarez Quadros, presidente da agência desde outubro deste ano. Em audiência pública realizada pela Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado, ele disse não ter planos de lidar com este tema no momento, e que a medida cautelar deve continuar em vigor.

“A prática está suspensa, a cautelar está em vigor e eu não penso em tratar desta questão tão cedo. É claro que há demanda por conta disso, mas estamos vendo realmente qual é a condição de trabalho para poder apreciar a questão”, afirmou durante a audiência. Você pode ver a declaração a partir de 1:40:00 do empolgante vídeo de 2 horas e 30 minutos publicado no YouTube da TV Senado.

 Assim, os usuários podem ficar tranquilos por mais algum tempo, mas o fato é que este assunto vai voltar em algum momento. A medida da Anatel ainda tem caráter temporário, mas continuará valendo enquanto a agência não promover debates mais profundos para discutir a questão. E isso não deve acontecer tão cedo.

Fonte: Olhar Digital

Postado em: Tecnologia Nº de Views: 41 Comentários: 0
Prezado leitor, comentários postados, aqui, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. No entando, caso depare-se com algo que entenda atentar contra direito ou violar um dos termos de uso deste site, denuncie. Caso queira saber mais, leia os termos de uso do site.

Deixe seu comentário